Microdocumentários urbanos, breves narrativas na metrópole.

Últimas

Um dia depois

9 de julho, o dia seguinte ao massacre.
A cidade acordou dolorida.

Brasil, decime qué se siente!

O dia em que os argentinos invadiram a cidade e a gente invadiu a torcida deles.


Eu, Guethe, Sillas e Kim.. pelo menos um jogo a gente viu :)

o que faz girar

No labirinto dos trilhos, o risco de se perder.
A porta que não abre se abre para quê?

Hipertermia

Ontem o calor bateu recordes históricos em SP.
Os ventiladores sumiram das prateleiras, os relógios marcavam “Ar Muito Ruim”.
E eu derretia pelas ruas tentando filmar o dia.


Com a trilha do querido Pedro Rizzi – que topou compor tudo em um único e quente dia :)

Contra Plongée

O olhar que vem do chão.
São Paulo toda filmada de baixo para cima.
Com a trilha caprichada de Pedro Rizzi.

Valeu Karlinha, Jones, Sillas e Priscilla pela ajuda.
E Marco Ornelas e Zé Netho pelo presentão!

E os dias se foram

Os mais frios das últimas cinco décadas.
A cidade é uma lembrança.

Streets Bloom

Ela anda pela cidade e por seus pensamentos
ao som de Streets Bloom.

Produzimos com as meninas do Desejos Urbanos :)


Obrigado Céu e Lucas Santanna!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.667 outros seguidores